Tecnologia

E3 2017: Microsoft apresenta o mais poderoso Xbox de todos os tempos

Na última semana Los Angeles, nos EUA, recebeu a E3 2017, a maior feira gamer do planeta. E ela era ansiosamente aguardada pelos jogadores de todo o mundo, sobretudo pelo anúncio oficial do tão falado Project Scorpio da Microsoft, que há muito vinha sendo alardeado pela empresa americana, como o mais potente console de todos os tempos.

E ele foi revelado, sendo na verdade um upgrade do Xbox One, e acrescentando a letra X na identidade. O Xbox One X, de fato entregou o que a Microsoft prometia: O mais potente vídeo game de todos os tempos. E entregou mais: Um aspecto físico menor – sendo mais compacto até que o próprio Xbox One S, a versão compacta do Xbox One –, e este detalhe fica ainda mais surpreendente quando sabemos que o novo console é o primeiro da linha Xbox a abrigar a fonte de energia em seu corpo. Realmente um trabalho maravilhoso de engenharia.

Especificações

Falando da parte que importa, sim, a Microsoft tem um aparelho impressionante: Sua GPU atinge incríveis 6 teraflops, com 12GB de memória RAM no padrão GDDR5 – como comparação o Xbox One S possui 8GB de RAM no padrão DDR3. Para quem não entende do riscado, simplifico: O Xbox One X é capaz de armazenar texturas em alta definição, sendo este um fator essencial quando falamos de um console desenhado para proporcionar uma interação em 4K real.

O novo console é tão potente que você poderia até mesmo fritar uns ovos nele. E estamos falando sério. Para não fritar, literalmente, ele é o primeiro Xbox a ter um sistema de refrigeração líquida. Afinal fogo e explosões aqui só são aceitas se você estiver no meio de uma partida de Playerunknown’s Battlegrounds, um dos 42 títulos anunciados para o Xbox One X, entre eles alguns exclusivos da plataforma Microsoft.

Os mais aguardados títulos anunciados são o Forza Motorsport 7 – em um vídeo demonstração em 4K de cair o queixo -, Metro: Exodus, Assassin’s Creed: Origins, Dragon Ball Fighter Z – YESSSSS – e Minecraft em 4K – por incrível que pareça.

Sim, Minecraft em 4K

Como todo grande lançamento no mundo da tecnologia, a apresentação da Microsoft foi envolta pelo clima do ame-o ou deixe-o. A principal fonte de ataques dos detratores do novo console é que a empresa de Bill Gates não consegue obter jogos exclusivos que fariam os gamers terem de optar pelo Xbox One X se quiserem jogar. Os anúncios no palco da E3 ou eram exclusivos da companhia ou exclusivos por tempo determinado. O que significa, no primeiro caso, que os PC’s com Windows 10 também rodarão estes jogos. E isso faz com que todo o poderio do Xbox One X derreta. Como efeito de comparação uma placa de vídeo de ponta pode superar facilmente os 6 teraflops de poder computacional do novo console. E no segundo caso, que em alguns meses, o título estará disponível também para outros consoles, como PlayStation, PC e Switch, por exemplo.

Eu acredito que de forma absoluta, para a Microsoft, este fato da exclusividade de títulos não seja preponderante, uma vez que a grande maioria de títulos “não exclusivos” do console X, na verdade vão ser divididos com a própria empresa através do Windows 10 nos PC’s. Tudo dentro de casa. O sucesso do console realmente vai ser comprovado, ou não, nos números de vendas. E aí o tempo será realmente o X da questão para o Xbox One X.

* Rodrigo Freitas foi convidado pela NBS Plus para produzir este especial