Cajuína

USP revisita Batalha da Maria Antônia em exposição

Era o auge da Guerra Fria no ano de 1968. Estados Unidos e União Soviética disputavam sua influência político-ideológica sobre o mundo, e a Rua Maria Antônia, na Vila Buarque – Centro de São Paulo, foi sede de uma micro representação do conflito global.

A Faculdade de Filosofia da USP e a Universidade Mackenzie eram vizinhas na Maria Antônia. A Universidade de São Paulo repleta de esquerdistas da UNE e na Universidade Presbiteriana estudantes à direita e até mesmo ligados com o CCC (Comando de Caça aos Comunistas), grupo de extrema-direita responsável por atos terroristas, como o ataque aos artistas da peça Roda Viva dirigida por Zé Celso no Teatro Ruth Escobar.

O caso

Em 3 outubro de 1968, estudantes da USP fecharam a Maria Antônia e exigiram pedágio a qualquer pessoa que tentasse utilizar a via pública. O dinheiro do pedágio era destinado para o 30° Congresso da UNE, feito secretamente em um sítio Ibiúna (interior de São Paulo), dado que a Ditadura Militar havia proibido às reuniões da entidade estudantil.

Estudantes do Mackenzie revoltosos com o pedágio jogaram ovos nos cobradores uspianos, que revidaram com tijolos soltos. O conflito se agravou e em dado momento estudantes de ambos os lados jogavam rojões, coquetéis molotov e davam tiros de revólver.

A particular Mackenzie e a estatal USP se tornaram estandarte do conflito direita x esquerda, com a tendência rebelde natural de jovens inspirados no Maio de 68 em Paris. Os direitistas eram liderados pelo CCC e os esquerdistas pelo então líder estudantil José Dirceu.

A nomeada Batalha da Maria Antônia resultou no assassinato do estudante secundarista José Carlos Magalhães, três baleados e dezenas de feridos. Além do incêndio na USP, que foi basilar para a mudança antecipada do campus para o Butantã.

A Batalha já foi tema de um belo curta-metragem por Renato Carvalho Tapajós, e volta a ser exposição com documentos, fotos inéditas, mobílias do prédio, matérias de jornal no CEUMA (Centro Universitário Maria Antônia), espaço cultural que sucedeu à antiga Faculdade de Filosofia.

Endereço

Exposição – “1968 Vou Ver”

Onde – Centro Universitário Maria Antônia – Rua Maria Antônia, 294

Quando – 10 de agosto de 2017 a 25 de janeiro de 2018